TRAÇOS INDIVIDUAIS




DEPENDÊNCIA DE COCAÍNA

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a prevalência do uso na vida de cocaína varia de 1 a 3% nos países desenvolvidos, com taxas mais elevadas nos Estados Unidos e nos países produtores. O consumo de cocaína é um grande problema mundial que causa problemas médicos, psicológicos e sociais, incluindo a propagação de doenças infecciosas (http://www.who.int/substance_abuse/facts/cocaine/en/). Estima-se que cerca de 40 a 60% da variabilidade da população em se tornar dependente de nicotina, álcool ou drogas ilícitas é atribuída a fatores genéticos.

O uso de cocaína produz alterações comportamentais e causa sintomas psicóticos, podendo em alguns casos induzir paranóia e dependência física. A cocaína se liga aos transportadores de monoaminas, bloqueando assim a recaptação do transmissor, e suas propriedades psicoestimulantes são o resultado do aumento nos níveis sinápticos de dopamina, serotonina e norepinefrina.

Algumas pessoas correm um risco maior de se tornarem dependentes de cocaína e em nível genético; uma das possíveis causas dessa suscetibilidade seria a presença de polimorfismos que afetam genes envolvidos na regulação do circuito de recompensa neuronal.

 

 

GENE OU REGIÃO ESTUDADA

 

  • CNR1