TRAÇOS INDIVIDUAIS




CHEIRO

 

Nosso sentido do olfato - assim como o paladar - faz parte do seu sistema quimiossensorial, ou dos sentidos químicos.

Sua capacidade de cheirar vem de células sensoriais especializadas, chamadas neurônios sensoriais olfativos, que são encontradas em um pequeno pedaço de tecido no alto do nariz. Essas células se conectam diretamente ao cérebro. Cada neurônio olfatório possui um receptor de odor. Moléculas microscópicas liberadas por substâncias ao nosso redor - seja no preparo do café ou nos pinheiros de uma floresta - estimulam esses receptores. Assim que os neurônios detectam as moléculas, eles enviam mensagens ao seu cérebro, que identifica o cheiro. Existem mais cheiros no ambiente do que receptores, e qualquer molécula pode estimular uma combinação de receptores, criando uma representação única no cérebro. Essas representações são registradas pelo cérebro como um cheiro particular.

Os cheiros chegam aos neurônios sensoriais olfativos por meio de duas vias. O primeiro caminho é através de suas narinas. O segundo caminho é através de um canal que conecta o céu da garganta ao nariz. A mastigação de alimentos libera aromas que acessam os neurônios sensoriais olfativos por meio do segundo canal. Se o canal estiver bloqueado, como quando seu nariz fica entupido por um resfriado ou gripe, os odores não alcançam as células sensoriais estimuladas pelos odores. Como resultado, você perde muito de sua capacidade de apreciar o sabor de um alimento. Desta forma, seus sentidos de olfato e paladar trabalham juntos.

Sem os neurônios sensoriais olfativos, sabores familiares, como chocolate ou laranja, seriam difíceis de distinguir. Sem cheiro, os alimentos tendem a ter um sabor insípido e ter pouco ou nenhum sabor. Algumas pessoas que vão ao médico porque acham que perderam o paladar ficam surpresas ao saber que, em vez disso, perderam o olfato.

Seu olfato também é influenciado por algo chamado senso químico comum. Esse sentido envolve milhares de terminações nervosas, especialmente nas superfícies úmidas dos olhos, nariz, boca e garganta. Essas terminações nervosas ajudam a sentir substâncias irritantes - como o poder de indução de lágrimas de uma cebola - ou o frescor refrescante do mentol.

Acredita-se que o ser humano seja capaz de distinguir até 10.000 odores diferentes, mas a maioria de nós percebe apenas uma fração deles durante a vida. A apreciação de um aroma é muito subjetiva e pode ser influenciada por aspectos culturais ou emocionais particulares. É por isso que a descrição de um odor pode variar de uma pessoa para outra.

 

 

GENE OU REGIÃO ESTUDADA

 

  • OR5A1